Programe-se‎ > ‎

A inclusão trabalhada em âmbito mundial

postado em 23 de nov de 2018 05:13 por ANA PAULA LOPES VIEIRA PAIVA   [ 30 de nov de 2018 17:20 atualizado‎(s)‎ ]

A leitura é um instrumento de inclusão? É a chave da imaginação? A auto-estima no contexto escolar; a agressividade em crianças pequenas; a inserção social entre quatro paredes; a arte de fazer desabrochar a cidadania; adolescentes com problemas de inclusão; etc. Esses temas são alguns exemplos que vêm aparecendo na mídia e despertando a atenção de educadores, psicólogos, psiquiatras, psicopedagogos e todos os outros profissionais e ou interessados nas questões referentes à saúde e à inclusão de qualquer indivíduo num processo de formação evolutiva.

O mundo está mudando. Hoje, novas ferramentas são utilizadas para os processos de inclusão, seja de indivíduos com dificuldades claras de aprendizagem ou aqueles que, por fatores individuais (de estima, de famílias), antes eram prejudicados por falta de um diagnóstico correto dos educadores ou profissionais competentes da época. Atualmente, o Brasil vem acompanhando as tendências mundiais na evolução e formação desses profissionais e conta com respaldo mundial no que se refere às trocas de experiências.

Brasil, Chile, Uruguai, Cuba, Espanha e Argentina estarão juntos no VI Congresso Brasileiro de Psicopedagogia; II Congresso Latino Americano de Psicopedagogia e X Encontro Brasileiro de Psicopedagogia que vai acontecer em São Paulo entre os dias 9 e 12 de julho na Universidade Presbiteriana Mackenzie.

O Congresso é organizado pela ABPP - Associação Brasileirade Psicopedagogia, entidade sem fins lucrativos e que atua em quase todos os Estados brasileiros. "A ABPP reúne profissionais da área da psicopedagogia que querem realmente aprender e estudar os ofícios da profissão. Existem muitos educadores no mercado que são psicopedagogos e que se consideram profissionais totalmente capacitados diagnosticarem e ligarem tranqüilamente com casos que acontecem no dia-a-dia de uma sala de aula", conta a presidente da entidade, Maria Cecília Castro Gasparian, reforçando a necessidade imprescindível de um aprendizado permanente.

Para Gasparian, o diferencial do VI Congresso Brasileiro de Psicopedagogia ficará, entre outras atividades, por conta das supervisões, que serão ministradas pelos grandes nomes da área. Emílio Sanchez Miguel e Jesus Martinez, ambos da Universidade Pontifícia de Salamanca na Espanha.

Segundo a presidente da ABPP, a supervisão é a nova tendência do processo evolutivo que a educação/inclusão vem passando nos últimos anos. "Quando um profissional da área tem um determinado caso a estudar, a supervisão - que é feita por outro profissional competente - enxerga a relação profissional/paciente e colabora para um diagnóstico mais afinado."

VI Congresso Brasileiro de Psicopedagogia/II Congresso Latino Americano de psicopedagogia/X Encontro Brasileiro de Psicopedagogia

Dias: 9 a 12 de julho de 2003-06-23

Local: Universidade Presbiteriana Mackenzie/ São Paulo

Público: Psicopedagogos, pedagogos, psicólogos, fonoaudiólogos e, especialistas na área de educação e saúde.

Telefone: (11) 5533-7373 - Fax (11) 5093-3332

e-mail: abpp@scae.com.br

site: www.abpp.com.br

Comments