Programe-se

Arte contra o Câncer de Mama

postado em 30 de nov de 2018 03:53 por ANA PAULA LOPES VIEIRA PAIVA   [ 30 de nov de 2018 17:21 atualizado‎(s)‎ ]

O Cantinho Cultural do Iprem está disposto a ajudar na luta contra o Câncer, que movimenta bilhões de reais em pesquisas e medicamentos e é a segunda causa de morte por doença no Brasil. Seu diagnóstico é temido por muita gente. Mas, um grupo de seis mulheres descobriu como superá-lo e eternizar sua existência usando a arte. Reconstruindo a Vida com União é a exposição, que começou no dia 16, às 16h, com um belo coquetel, significando a vitória para quem acredita na vida.

Todos os artistas passaram pela experiência de receber o diagnóstico de câncer e ainda enfrentam um tratamento doloroso, que, na maioria das vezes, é de longo prazo. Nessa fase precisam se afastar do trabalho e das atividades que antes faziam parte de seu dia-a-dia.

Nessa exposição, a palavra RECONSTRUIR tem um significado muito importante - segundo o relato de uma paciente, cada notícia ruim sobre seu estado de saúde era como algo que se quebrasse, pois ao receber o diagnóstico ou saber que teve uma recidiva, toda sua vida devia ser reorganizada.

É nesse momento que a arte e a psicoterapia tem grande importância, oferecendo atividades de apoio com o objetivo de desenvolver a troca de experiências e a integração do grupo. "A exposição com pintura e o mosaico é parte desse processo. Os trabalhos são expostos à comunidade, familiares, profissionais, integrando-os à sociedade e demonstrando que estão vivos e dispostos a RECONSTRUIR", afirma a Arteterapeuta e coordenadora do evento, Fernanda Palamone.

Você pode conferir a mostra dessas mulheres que lutam para viver de 16 de maio a 13 de junho, no Cantinho Cultural do Iprem, de segunda a sexta, das 9h às 18h.

Serviço

Exposição: Reconstruindo a Vida com União

Cantinho Cultural do Iprem - De 16 de maio a 13 de junho, das 9h às 18h.

Instituto de Previdência Municipal de São Paulo

Av. Zaki Narchi, 536 - Santana (próximo às estações Tietê e Carandirú do Metrô)

Tel. (11) 6224-7610/7582

Entrada e estacionamento gratuitos, com acesso para deficientes físicos.

A periferia ocupa o centro

postado em 29 de nov de 2018 16:30 por ANA PAULA LOPES VIEIRA PAIVA   [ 30 de nov de 2018 17:21 atualizado‎(s)‎ ]

Teatro da Vertigem faz na Casa n.º 1 - diálogos periferia-centro

Dia 7 de junho começou na Casa n.º 1 o projeto Diálogos Periferia-Centro, organizado pelo Teatro da Vertigem como parte integrante de seu Projeto de Residência Artística, numa iniciativa inédita de parceria entre o Patrimônio Histórico, a Secretaria Municipal de Cultura e um grupo de teatro.

Os grupos do Teatro Vocacional reunidos nessa programação do projeto Diálogos Periferia-Centro estão juntos há quase dois anos, num trabalho contínuo de encontros, ensaios e apresentações em bairros como Itaim Paulista, Vila Mariana, Penha e Lapa. A escolha destes grupos se deu por dois motivos: a qualidade artística que adquiriram ao longo deste período e o fato de seus orientadores pertencerem a grupos de teatro atuantes no panorama cultural da cidade, como Companhia do Latão, São Jorge de Variedades, ECA/USP, Agora. A curadoria e acompanhamento do projeto são de Maria Ceccato e Miriam Rinaldi.

A cada encontro haverá uma apresentação de aproximadamente uma hora dos grupos vocacionais, e a seguir, um bate-papo entre o grupo em formação, seu artista-orientador e o público, sobre a produção teatral em grupo.

O que é o Teatro Vocacional?

O Teatro Vocacional é um projeto da Secretaria Municipal da Cultura, existe há quase dois anos e atinge 31 pontos da cidade. Seus principais objetivos são: fomentar a formação de grupos e qualificar a atividade teatral não-profissional (vocacional) das comunidades de São Paulo.

O Vocacional acontece em Casas de Cultura, Bibliotecas e Escolas e suas atividades são coordenadas por uma equipe formada de 31 artistas em atividade, em sua maioria atores.

Cada grupo tem seu artista-orientador e sua ação dentro dos grupos em formação não está desvinculada da sua produção artística. A função do artista-orientador se estende também para outras áreas, assumindo o papel de diretor, de dramaturgo, de produtor, de programador cultural (colaborando com as atividades dos equipamentos onde atua).

O objetivo final do projeto é promover a autonomia destes grupos fazendo com que estes gerem ainda outros, num processo multiplicador.

Diálogos Periferia-Centro

Junho e Julho

Sábados à tarde

Horário: 14h

Entrada Franca

Programação:

Dia 14 de junho - Grupo Bolinho de Arroz - Lapa - coord. Mariana Leite

Dia 21 de junho - Grupo Reticências - Penha - coord. Paulo Barcelos

Dia 28 de junho - Grupo Escrachos da Vila - Vila Mariana - coord. Renata Deuse

Dia 14/06: Bertold Brecht - Improvisações

Ao adolescente e ao adulto interessa o espaço da invenção, da curiosidade e de experiências diversificadas, ainda que a sociedade não lhes ofereça os meios. O jogo teatral é a oportunidade não só de reflexão sobre a realidade, mas de atuação sobre ela.

Dia 21/06: Desejos & Delírios.

A peça é um grande mosaico de cenas a partir de material trazido pelos artistas vocacionais (poemas, material de jornal, cenas presentes, etc).

A condução artística prima pelo trabalho de grupo, possibilitando um espaço aberto para a experimentação.

Dia 28/O6: Romeu e Julieta

Local: Casa n.º 1 (Rua Roberto Simonsen, 136 B, Centro, São Paulo)

Fone: (11) 3241. 3132

A inclusão trabalhada em âmbito mundial

postado em 23 de nov de 2018 05:13 por ANA PAULA LOPES VIEIRA PAIVA   [ 30 de nov de 2018 17:20 atualizado‎(s)‎ ]

A leitura é um instrumento de inclusão? É a chave da imaginação? A auto-estima no contexto escolar; a agressividade em crianças pequenas; a inserção social entre quatro paredes; a arte de fazer desabrochar a cidadania; adolescentes com problemas de inclusão; etc. Esses temas são alguns exemplos que vêm aparecendo na mídia e despertando a atenção de educadores, psicólogos, psiquiatras, psicopedagogos e todos os outros profissionais e ou interessados nas questões referentes à saúde e à inclusão de qualquer indivíduo num processo de formação evolutiva.

O mundo está mudando. Hoje, novas ferramentas são utilizadas para os processos de inclusão, seja de indivíduos com dificuldades claras de aprendizagem ou aqueles que, por fatores individuais (de estima, de famílias), antes eram prejudicados por falta de um diagnóstico correto dos educadores ou profissionais competentes da época. Atualmente, o Brasil vem acompanhando as tendências mundiais na evolução e formação desses profissionais e conta com respaldo mundial no que se refere às trocas de experiências.

Brasil, Chile, Uruguai, Cuba, Espanha e Argentina estarão juntos no VI Congresso Brasileiro de Psicopedagogia; II Congresso Latino Americano de Psicopedagogia e X Encontro Brasileiro de Psicopedagogia que vai acontecer em São Paulo entre os dias 9 e 12 de julho na Universidade Presbiteriana Mackenzie.

O Congresso é organizado pela ABPP - Associação Brasileirade Psicopedagogia, entidade sem fins lucrativos e que atua em quase todos os Estados brasileiros. "A ABPP reúne profissionais da área da psicopedagogia que querem realmente aprender e estudar os ofícios da profissão. Existem muitos educadores no mercado que são psicopedagogos e que se consideram profissionais totalmente capacitados diagnosticarem e ligarem tranqüilamente com casos que acontecem no dia-a-dia de uma sala de aula", conta a presidente da entidade, Maria Cecília Castro Gasparian, reforçando a necessidade imprescindível de um aprendizado permanente.

Para Gasparian, o diferencial do VI Congresso Brasileiro de Psicopedagogia ficará, entre outras atividades, por conta das supervisões, que serão ministradas pelos grandes nomes da área. Emílio Sanchez Miguel e Jesus Martinez, ambos da Universidade Pontifícia de Salamanca na Espanha.

Segundo a presidente da ABPP, a supervisão é a nova tendência do processo evolutivo que a educação/inclusão vem passando nos últimos anos. "Quando um profissional da área tem um determinado caso a estudar, a supervisão - que é feita por outro profissional competente - enxerga a relação profissional/paciente e colabora para um diagnóstico mais afinado."

VI Congresso Brasileiro de Psicopedagogia/II Congresso Latino Americano de psicopedagogia/X Encontro Brasileiro de Psicopedagogia

Dias: 9 a 12 de julho de 2003-06-23

Local: Universidade Presbiteriana Mackenzie/ São Paulo

Público: Psicopedagogos, pedagogos, psicólogos, fonoaudiólogos e, especialistas na área de educação e saúde.

Telefone: (11) 5533-7373 - Fax (11) 5093-3332

e-mail: abpp@scae.com.br

site: www.abpp.com.br

A arte aos 81 anos...

postado em 18 de nov de 2018 16:28 por ANA PAULA LOPES VIEIRA PAIVA   [ 30 de nov de 2018 17:19 atualizado‎(s)‎ ]

De auditor fiscal a artista, Antonio Titto mostra que talento não tem idade na Exposição "Manifestação" no MuBE, a partir do dia 28 de janeiro

A partir do dia 27 de janeiro, o MuBE - Museu Brasileiro daEscultura recebe a Exposição inédita "Manifestação", do seu mais novo talento, Antonio Titto. Depois de anos de trabalho como auditor fiscal, o talento e a criatividade nasceram por acaso, aos 50 anos, durante o descanso de uma pescaria, quando começou a desenhar. A persistência e a firmeza nos traços mostram um paulista de 81 anos sempre disposto a um novo desafio. "Tenho uma maneira muito peculiar de ver a vida. Não encaro a idade como um limitador e sim como uma aliada naquilo que amo fazer, que é pintar", explica Antonio Titto.

A exposição "Manifestação", do artista Antonio Titto, vai de 28 de janeiro a 17 de fevereiro e estará aberta ao público das 10 às 19 horas no MuBE - Museu Brasileiro da Escultura Marilisa Rathsam. A curadoria é do crítico de Olívio Guedes.

Exposição "Manifestação" de Antonio Titto

45 obras: Nanquim sobre papel schöeller.

MuBE - Museu Brasileiro da Escultura Marilisa Rathsam

28 de janeiro a 17 de fevereiro - de 3ª a domingo, das 10 às 19 horas.

Avenida Europa, 218 - Jardim Europa - São Paulo - SP.

Informações: (11)3081.8611

Entrada Franca

120 anos de nascimento de Monteiro Lobato

postado em 16 de nov de 2018 14:10 por ANA PAULA LOPES VIEIRA PAIVA   [ 30 de nov de 2018 17:18 atualizado‎(s)‎ ]

A Secretaria Municipal de Cultura, através do Departamento de Bibliotecas Infanto-Juvenis e da Biblioteca Monteiro Lobato, comemora este ano os 120 anos de nascimento do escritor. A intenção é relembrar Lobato como um dos maiores escritores do país e como homem que, durante a vida, buscou fazer do Brasil uma nação em todos os seus aspectos.

No dia 18 de abril às 19:30 acontecerá na BibliotecaMonteiro Lobato uma mesa redonda com a presença do bibliófilo José Mindlin, da escritora Tatiana Belinky com a mediação de Oiram Antonini. A temática a ser desenvolvida versará sobre a importância e a contribuição de Monteiro Lobato para a formação cultural do Brasil.

Local: Biblioteca Infanto-Juvenil Monteiro Lobato

Rua General Jardim, 485

Fone: (11) 3256.4122

100 anos de arte no Ibirapuera

postado em 16 de nov de 2018 14:09 por ANA PAULA LOPES VIEIRA PAIVA   [ 30 de nov de 2018 17:18 atualizado‎(s)‎ ]

Uma mega exposição de arte está trazendo obras primas do Centre Pompidou, França. É a exposição Parade - 100 anos de arte, com mais de 250 obras produzidas entre 1901 e 2001, mostradas cronologicamente e que traz 120 artistas que nasceram ou viveram na França durante o período, como Picasso e Kandinsky.

Mas isto não é tudo. Para tornar a exposição ainda mais interessante, a Brasil Connects, uma das organizadoras do evento, lança ação social e educativa sobre o tema. É o kit educativo Jogos do Aprendiz de Arte, cujo público alvo são alunos de escolas públicas e privadas, universitários, professores, comunidades carentes, grupos de terceira idade e portadores de deficiência. Pretende-se, com isto, formar um público leitor de artes visuais, processo este que se iniciou ano passado, quando foram levados 600 mil visitantes à Mostra do Redescobrimento em São Paulo.

Todas as crianças que participam de visitas agendadas recebem o kit, composto por seis postais com imagens de obras e várias propostas de brincadeiras, que podem ser individuais ou em grupos, e podem ser realizadas em sala de aula. O material foi construído com o intuito de transmitir às crianças, de maneira lúdica, conceitos de História da Arte. Paralelo a isto ainda são oferecidos cursos gratuitos para professores, com três horas de duração, durante os quais eles recebem 35 pranchas ilustrativas e um caderno, incentivando-os a uma nova possibilidade de ação pedagógica.

A exposição está acontecendo na Oca do Parque do Ibirapuera, até 15 de janeiro de 2002, de terça a domingo, das 10h às 21h. Os ingressos custam R$7,00 e a entrada é gratuita para aposentados, terceira idade, crianças menores de cinco anos e portadores de deficiências. As visitas podem ser agendadas pelo telefone (11)5081.2829 ou (11) 5573.6073 e, para escolas públicas, são gratuitas.

33.º Festival de Inverno de Campos do Jordão

postado em 16 de nov de 2018 13:59 por ANA PAULA LOPES VIEIRA PAIVA   [ 30 de nov de 2018 17:24 atualizado‎(s)‎ ]

Julho é o mês do maior evento de música da América Latina, o tradicionalíssimo Festival de Inverno de Campos do Jordão, que este ano chega à sua 33.ª edição. A programação vai de 6 a 28 de julho, e conta com vários nomes da música erudita internacional, entre eles o trompetista Fred Mills, o tenor Ramon Vargas, o flautista Rafaelle Trevisani, e também artistas nacionais, como Beth Carvalho, Martinho da Vila, Ivan Lins e João Bosco. Além dos espetáculos do Auditório Cláudio Santoro ou da Praça de Capivari, ao longo do Festival 289 bolsistas irão aprender e se aperfeiçoar com grandes músicos, como Wilfried Strehle, Manfred Preis, ambos da Alemanha, e Mary Clardy, Leonardo Garcia e Soh Hyun Park, dos Estados Unidos.

Neste ano, o Festival de Inverno oferece ainda espetáculos sinfônicos montados especialmente para crianças, que acontecerão nas manhãs de domingo. Entre as atividades, haverá a apresentação do filme Fantasia, de Walt Disney, acompanhado pela Banda Sinfônica Jovem.

1-7 of 7