Meio Ambiente‎ > ‎

A homossexualidade no reino animal

postado em 18 de nov de 2018 16:32 por ANA PAULA LOPES VIEIRA PAIVA   [ 30 de nov de 2018 17:09 atualizado‎(s)‎ ]

O GNT apresentou em setembro documentário inédito que mostra de que maneiras o homossexualismo se manifesta no reino animal.

O programa aborda especificamente como se dá o homossexualismo, passando pelos cuidados maternais e paternais até chegar nas manifestações mais explícitas, como namoro, sexo e acasalamento.Com uma hora de duração, A Natureza sai do armário: A homossexualidade no Reino Animal traz à tona uma realidade praticamente não discutida na comunidade científica; mostra que, desde que foi observado por cientistas há mais de duzentos anos, o assunto é considerado tabu. Em 1892, em um relatório que descrevia o comportamento homossexual entre elefantes, havia a seguinte observação: "Os elefantes cometem atos imorais proibidos pelas leis cristãs." Um dos casos mostrados no programa ilustra bem como a questão é tão polêmica quanto antiga. Em 1922, cinco pingüins-reais foram capturados e levados para o zoológico de Edimburgo, Escócia. Tendo como base o seu comportamento sexual, eles receberam seus nomes. Sete anos depois, a administração do zôo finalmente aceitou que havia algo de errado e os pingüins foram submetidos a um exame para que se determinasse seu sexo. Da noite para o dia, Andrew se tornou Anne, o suposto casal Eric e Dora se tornou Erica e Dora, assim como, para a surpresa de todos, Bertha e Caroline se tornaram Bertrand e Charles.Diversos casos abordados no programa, de macacos a vespas, instigam para os motivos reais desse comportamento. Seriam os longos períodos de convivência entre os animais que incentivariam as uniões, ou, ao contrário do estabelecido, o que os animais buscam de fato, é a compatibilidade com o parceiro, não importando se ele é do mesmo sexo?

O ESPECIAL-GNT foi apresentado no dia 23 de setembro de 2001.

Comments