Cidadania‎ > ‎

Agente Jovem muda vida de adolescentes

postado em 24 de dez de 2018 08:22 por ANA PAULA LOPES VIEIRA PAIVA   [ 24 de dez de 2018 08:22 atualizado‎(s)‎ ]

Carlos Chagas, a 600 km de Belo Horizonte, é um exemplo de cidade onde o projeto Agente Jovem, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), tem dado bons resultados. O trabalho de treinamento de jovens em situação de risco social está mudando a vida de muitos adolescentes, abrindo as portas para o mercado de trabalho e trazendo boas perspectivas para as famílias pobres do município.

O Agente Jovem começou a funcionar na cidade em março de 2002. De lá para cá, 45 adolescentes passaram pelo projeto e a maioria já está trabalhando. Atualmente, 25 jovens são beneficiados com uma bolsa mensal de R$ 65 paga pelo MDS. Eles freqüentam a escola num período e, no outro, recebem lições nas áreas de meio ambiente, saúde e cidadania. O trabalho é desenvolvido em instituições municipais, como o posto de saúde e a própria prefeitura.

"A experiência dos jovens facilita o ingresso no mercado de trabalho e está despertando o interesse de empresas da cidade que querem contratá-los depois que eles deixam o projeto". É o que conta Jesuíno Damasceno, coordenador do Agente Jovem no município. Ele explica que o perfil de cada adolescente é levado em conta na hora de definir em qual instituição do município eles irão atuar.

Diana da Silva, de 18 anos, ficou um ano no Agente Jovem e garante que conseguiu um trabalho numa distribuidora graças à experiência que teve no projeto. "O Agente Jovem significou um marco na minha vida. Sou outra depois de participar do projeto. Ele é um incentivo aos jovens que querem mostrar o que sabem, mas que, muitas vezes, não recebem o apoio nem de suas famílias, nem da sociedade", conta.

Ela acrescenta que "todas as pessoas querem entrar no Agente Jovem porque, quando saem, sempre conseguem alguma coisa. Quando não são contratadas pela prefeitura, são por outras empresas da cidade". A história de Diana é parecida com a de Frinéia Aguiar e a de Charles Pereira. Depois que deixaram o Agente Jovem, eles passaram a trabalhar como agentes de saúde. Nilson Lima é outro exemplo. O garoto que antes estava em situação de risco social, agora trabalha na Funasa e ajuda a combater a dengue na cidade.

Os casos do município mineiro de Carlos Chagas são apenas alguns exemplos. Em todo o País, 58 mil adolescentes são beneficiados pelo projeto. A meta do MDS para 2005 é dobrar esse atendimento.

Comments